Laszlocorrendo2

  Magyar vizsla - Braco Húngaro da foto: LASZLO CEBALLOS OF BANFIELD
de propriedade de Thomas Rideg

 

 

 

A História desta fascinante raça  Rövidszörü Magyar Vizsla  por Thomas Rideg

 

Assim como os antepassados de seus mestres Magyar (húngaros), a origem do Magyar Vizsla (apontador húngaro) está camuflada na neblina da história.  Não existe dúvida, porém, que os ancestrais do Vizsla se aventuravam na companhia dos antigos caçadores húngaros pelas planícies orientais a distâncias onde até o século X as migrações asiáticas se estendiam interminavelmente. 

 

Até hoje naquela região é possível encontrar desenhos Rupestres (pedras com desenhos primitivos) com mais de mil anos do caçador magyar em seu cavalo, com o seu falcão no ombro e seu Vizsla correndo ao seu lado.  Mesmo que os desenhos estejam em estado rudimentar, as características do Vizsla são evidentes. 

 

O Vizsla é um cão do oriente, e os ancestrais deste cão não são encontrados em países do oeste europeu.  Fora da Hungria, os antigos Vizslas podem ser rastreados também na Bulgaria e na Turquia (lembramos que naquela época a Hungria era muito maior do que ela é hoje, contemplando parte da  República Tcheca, Croácia, Romenia ( região da Transilvânia),  Austria,  e Slovakia.  Partes destes países pertenciam a Hungria por muitos séculos.   

 

trianon_2

 

 

 

O Mapa acima mostra o tamanho da Hungria antes da Grande Gerra Mundial, Documentos em arquivos particulares e públicos, assim como desenhos, pinturas e esculturas confirmam que o Vizsla é um cão esportivo de tipo peculiar, trazido ao país da bacia Carpathiana pelo oriente em tempos de conquistas pelos Huns Magyars a mais de 1.000 anos!

 

Os antigos magyars dos séculos passados eram excelentes caçadores e também fortes cultivadores de gado e ovelhas.  Era simplesmente indispensável para eles utilizarem cães tanto para pastoragem quanto para farejo e caça.  O cão fazia parte do dia-a-dia do povo magyar no trabalho e em casa.  A caça era o campo de treinamento para as lutas, e as lutas era a vocação básica dos lordes húngaros nos tempos feudais.  Os tipos de cães se espalhavam conforme os tipos de pastagens e campos. Presas grandes das montanhas da Transilvânia e o norte da Hungria requeriam os deerhounds (farejadores de veados).  Já os vales e planícies (região de Hortobágy), acompanhando o Danúbio e seus efluentes são repletos de presas de menor e médio porte, tanto de pele como de penas, e moradores destas regiões precisavam de  setters, retrievers e pointers, e para isso utilizavam o Vizsla, que desempenha perfeitamente estas três funções. 

 

Esta versatilidade é uma enorme característica e diferencial do Vizsla.  Diferentemente dos cães do oeste europeu que foram desenvolvidos para atividades específicas, o Vizsla foi desenvolvido para as habilidades completas de caça, e hoje tecnicamente ocupa um seletíssimo grupo de cães HPR, o que significa, Hunt (caçar), Point (apontar), Retrieve (buscar).

 

Muitos dos documentos escritos sobre os vizslas se originam da era da ocupação turca na Hungria (1526-1686). O próprio nome "Vizsla" ocorreu na correspondência entre as províncias ao logo do Danúbio e o Porta Alta (Corte do Sultão de Istambul).  

 

Não temos evidências para demonstrar a real antiguidade desta raça, mas temos fatos que comprovam a sua idade mínima, demonstrando também que as raças caçadoras do oeste europeu são extremamente novas quando comparadas ao Vizsla: 

    1. Uma aldeia chamada Vizsla no Vale do Danúbio tinha este nome no século 12, sugerindo que neste ambiente muitos vizslas poderiam ser encontrados.
    2. Uma carta enviada em junho de 1569 por seu filho para a esposa do Chanceller Húngaro relata: "...o falconeiro  de Miladi Bathhyanyi informa que a sua amante tem dois vizslas e três falcões, e me presentearia com um de cada seu eu lhe pedisse"
    3. Um artigo no jornal “The Vienna Chronicle” na era do Rei Louis o Grande (1342-1382) exibe a foto do Vizsla em uma matéria sobre falcoaria da alta nobreza.
    4. Historiadores e novelistas húngaros mencionam frequentemente os vizslas favoritos de seus heróis.

 

Tudo isso serve para provar além de qualquer dúvida que o Vizsla foi criado e utilizado pelos mestres magyar em tempos que o Pointer Inglês, Weimaraner e Pointer Alemão não existiam.  Portanto qualquer teoria de que o sangue dos cães de caça europeus estaria no Vizsla é absolutamente falsa, apesar de que existe muita literatura que sugere o contrário. 

 

As virtudes do Vizsla em termos de pureza, aparência, habilidades, versatilidade e afeição aos humanos se destacam diante as qualidades das outras raças, pois elas são únicas e não estão presentes de forma tão intensa em nenhum outro cão caçador.

 

A aparência geral do Vizsla Húngaro apresenta uma combinação de dignidade e vigor, mas com uma gentil imponência.  É um verdadeiro cão de nobreza, pois tem todas as habilidades de caça, mas combinados com a elegância e postura da realeza e a simpatia e lealdade de um membro da família. 

 

Para diferenciar de forma tangível o Magyar Vizsla dos demais cães, vale uma comparação com as mais famosas raças de pointer e caça:

 

·        Pointer Inglês: Muito rápido com um faro excelente.  Ele aponta firmemente, porém é um péssimo buscador.  Ele é um belo cão, mas não possui capacidades múltiplas.

 

·        Pointer Alemão (GSP): Um cão versátil; tem um bom faro, busca bem, mas em velocidade moderada. Não é um apaixonado pela água, mas o encara quando necessário.

 

·        Labrador Retriever: Um cão companheiro, extremamente fiel.  Busca muito bem, mas não aponta.  Gosta de água.  É troncudo e o seu nível de energia é muito mais baixo do que os pointers.

 

·        Weimaraner: Muitos que não conhecem o Vizsla pensam que é um Weim de cor dourada, pois este apresenta uma postura parecida; bela, aristocrática, e com altíssima energia.  Porém, apesar de ser um apontador, ele é prestigiado muito mais pela sua beleza do que pelas suas habilidades de caça, que são menos desenvolvidas que os outros aqui mencionados.

 

O Vizsla Húngaro combina todas as boas características das quatro raças acima.  É rápido com o faro espetacular.  Ele é confiável na busca no campo, mata ou água (o Vizsla adora água).  É um rastreador corajoso e determinado e não desiste até encontrar o alvo - uma vez encontrado, traz diretamente para o proprietário.  Acima de tudo, é um cão fiel e companheiro.  O Vizsla também é conhecido como o cão velcro, pois ele fica colado ao dono o máximo de seu tempo possível.  Assim como muitas pessoas inteligentes, o Vizsla tem uma alta sensibilidade e não tolera tratamento brusco.  Ele precisa ser tratado como parte da família.  Para completar, possui um pelo aveludado de cor dourado extremamente suave ao toque (ao contrário da maioria dos cães, o Vizsla tem apenas uma camada de pelo), e as suas orelhas longas e finas parecem seda. 

 

Estes são os encantos do Magyar Vizsla.

 

 

 

 

 

 

Copyright © 2019 Hortobágyi. Todos os direitos reservados.
 
- Site Desenvolvido por Canil Hortobágyi

  Site Map